domingo, 19 de julho de 2009


Tudo é triste em mim,
como se toda a tristeza
emanasse do meu peito.

Breve presságio do fim,
que me sustenta a certeza,
do coração já desfeito.

Autora: Ana Moura

3 comentários:

Lucimar Simon disse...

belo poema,adorei

de uma passadinha no meu cantinho

Clarinhaaa disse...

opaa... que triste esse poema...
mas com sua beleza peculiar...
um blog com lindas imagens e mensagens tocantes...
gostei!!!

bjs

Amiga do Cafa disse...

Primeiro, o vazio.
Depois a certeza de que é preciso recomeçar...
e começa tudo de novo...