quinta-feira, 30 de julho de 2009


Olho a estrada que já percorri,
encontro o nada.
Inutilidade, angústia, sofrimento.

Sou quem jamais quis,
nada realizei, não sai do nada.

Indiferente ao mundo,
indiferente ao nada,
porque sendo o nada,
já é ser alguma coisa...

Autora: Sandra Ribeiro

2 comentários:

Vagabundo Social disse...

O nada é muito grande...

Black Crow disse...

Tudo a ver comigo.
Sou um inútil.