quarta-feira, 11 de maio de 2011

Quero me esconder dessa dor...


As horas se arrastam,
as lágrimas caem tímidas,
como se não quisessem rolar pela face.
Não percebi o que estava perdendo,
e foi tão de repente o fim...

Se agora choro é por inconformismo,
de não ter enxergado o que estava tão claro.

No escuro da noite,
escondo-me da minha própria dor.

Autora: Sandra Ribeiro

6 comentários:

LUCIMAR SIMON disse...

Ahhh, que gostoso, ler aqui, a imaginaçao da lagrima rolando devagar presa nela mesma fui sublime...

beijos, e obrigado pela bela amizade virtual que temos.

♥♥♥Ani♥♥♥ - Cristal disse...

Oi Sandra querida,

Lindo e triste seu poema...
Mas a dor passa...
E as coisas se ajeitam....


Sempre.


Beijos
Ani

... "gi"... disse...

Sandra...

A dor é algo que normalmente não gostamos... porque na maioria das vezes, vinculamos a dor com algo ruim...

Esta tua dor parece-me ser bem forte. Porém na vida tudo passa, a dor também há de passar.

Fiques bem...

Bjs...

ϟ Cynthia Brito disse...

Talvez seja este mesmo escuro que nos impeça de enxergar o que a luz traduz...


Sempre tão poéticas tuas palavras, Sandra!

um beijo enorme!

F.H.Canata disse...

Olá!

e o meu Presente é em dose dupla, pois adoro seus dois blogs, por isso resolvi indicar os dois!!

Abraços!!!

Canata

Laura Vazio disse...

Acho que mais difícil que chorar pelo inconformismo é chorar pelo conformismo, pois é impossível se conformar sem que fique algum resquício de inconformação. Isto é, quem se conforma chora tanto pelo que se conforma quanto pelo que não consegue se conformar (ainda que inconscientemente...).

Bjo. Belo texto!