sexta-feira, 7 de agosto de 2009


Precisei de alguém ao meu lado,
e não havia ninguém...

Precisei de palavras
que nunca foram ditas.
Precisei de mãos que
nunca foram estendidas.

Precisei de alguém,
que não fosse embora...

Mas se foi.


Autora: Sandra Ribeiro

6 comentários:

Lalah disse...

nem sempre as pessoas ficam com a gente, e as vezes eh qndo mais precisamos.

Gabriele Peres disse...

Adorei *-*
Muito lindo!!

bookmanie disse...

Olà. A arte de fazer amor passado, está a inovar, a fim de reanimar ele. Inove nas palavras, gestos, monotonia mata o amor. O problema da sociedade moderna é que ela não deixa tempo suficiente para ponderar estas coisas. Pagando a atenção para si e comunicar, é já um lote. O seu texto e as primeiras opiniões são demasiado pessimista, em que o esforço deve ser feito em ambas as direções. Olhando para a originalidade não é tudo, temos de criar originalidade. Tenho a certeza que se eu convidar você para passar alguns dias, você será bloqueado por preconceitos, o seu próprio, aqueles que construíram a sua memória. Eu pensei que o latim línguas eram mais comunicativo, você não ficheiro comentários no meu blog. Fá-lo, não se acanhe em comunicação, a monotonia da parede deve ser substituída por uma porta de comunicação aberta a originalidade. É até você para fazer o primeiro gesto de suas expectativas. Bookmanie.

SAMUKA THEODORO OLIVEIRA disse...

Ola sandra lendo este texto vejo o quanto é bom contar com alguem nas horas dificeis, mas nem sempre isto é possivel.

Adorei seu texto beijos.

Chá das Cinco disse...

Gostei daqui, um blog romantico e com lindas imagens.
As fotos assinadas são suas?
Sou fotógrafa e sempre passeio pela net procurando novidades, o teu é blog uma graça.
Gostei e fiquei, espero que goste do chá.
Um abraço

Lobodomar disse...

Boa tarde.

Muito boa a sua poesia, que reúne simplicidade, beleza e sentido filosófico profundo. Tudo isso, usando poucas palavras.

Parabéns, Poetisa!

Grande abraço.


André L. Soares
http://poemasdeandreluis.blogspot.com/